Archive for the 'Especiais' Category

03
ago
09

Audiogame Special 3rd Anniversary Edition

O Audiogame foi aposentado há um ano. Mas para o terceiro aniversário do podcast, decidimos organizar um episódio comemorativo.

Uma pena que a organização não serviu de nada, quase todo mundo furou e aí ficamos eu (Gus) e Douglas no Bob’s da paulista gravando este que é, oficialmente o último Audiogame, ou, pelo menos o último Audiogame em que eu participo. Depois desse fiasco eu fico de fora.

Ouça:

ou

Baixe

15
jul
08

Pablocast Audiogame Especial E3 2008 #1

Gravado ontem denoitão pelo Skype com o Pablo, direto de Los Angeles.

A gente comentou tudo que rolou no primeiro dia de E3 (que na verdade só começa hoje, mas vocês me entenderam).

Perdemos o finzinho da gravação, mas eram comentários sobre o dia de hoje, então no especial que gravaremos hoje denoite o Pablo vai poder falar melhor sobre isso.

Ouça

ou

Baixe

18
abr
08

Mortal Kombat VS DC Universe – Cadê o John Tobias?

Estou muito puto com o recente anúncio sobre MKvsDCU e não estou disposto a escrever tudo o que quero sobre isso, não agora.

Por isso, fiz um pequeno audio clip (afinal, aqui é o Audiogame) para representar um pouco o que estou sentido como um fã da série.

Baixe Aqui o Audio

Minhas opiniões serão melhor expressadas no próximo podcast.

Até lá.

PS: Se alguém puder postar isso no YouTube, por favor o faça e ponha o link num comentário aqui.

08
dez
07

O Audiogame Foi: Primeira Loja Gamers

Gamers

 

Lembram-se do anúncio de que a rede de lojas de games mexicana Gamers viria para o Brasil?

Hoje foi a abertura da primeira loja, no Shopping Morumbi, em São Paulo e eu (GUS) estava lá para cobrir este dia histórico.

A loja abriu um pouco após as 10h, porque o pessoal tava organizando tudo, fui o primeiro a entrar na loja e fui logo espiando tudo.

JOGOS!!!

A primeira coisa que se nota é o ambiente clean e que os jogos estão na prateleira! Nada de balcãozinho! Pois é, inclusive, a Gamers faz melhor do que muitas lojas americanas, pois deixa as caixas dos jogos lacradas nas prateleiras, nada de caixas vazias. Os jogos são bem variados e de várias plataformas: Playstation 2, Wii, Xbox 360, Playstation 3, Gameboy Advance, Nintendo DS e até Gamecube.

Os atendentes são muito atenciosos e parecem entender de videogame. Uma ótima vantagem da Gamers perto da concorrência, que não tem um histórico muito bom com seus atendentes.

um jogo mediano, mas uma bela vitrine

A imagem ai de cima mostra outra coisa que chamou atenção: uma vitrine muito bem montada e criativa para anunciar Medal of Honor Airborne. Além deste display havia vários outros daqueles mais comuns de papelão.

No geral a Gamers traz sim uma nova era para o mercado brasileiro de games. Os preços são altos, mas iguais aos das outras lojas do mercado. Mas a verdadeira revolução da Gamers é trazer ao Brasil um modelo de negócios que respeita os jogadores e os oferece um serviço, literalmente, de primeiro mundo. Fique agora com mais duas fotinhos.

Claudio Prandoni felizão depois de comprar dois jogos na Gamers. Ângulo estranho

 

Para mais impressões sobre a Gamers ouça o Guerracast Audiogame que sai daqui a pouco e espere para a cobertura do evento de inauguração da Gamers, que rola na semana que vem.

17
nov
07

Assine os Nossos Podcasts!

Pois é, agora o Audiogame.com.br tem uma RSS feed para que você receba as atualizações do site e podcasts em qualquer agregador de feeds e/ou no iTunes ou outro programa de gerenciamento de podcasts.

O Pablocast Audiogame 6 já está nesta feed e a partir de hoje todos os podcasts que sairem estarão também.

O link para a feed é este: http://feeds.feedburner.com/Audiogame e também pode ser achado ai do lado direito da página, logo abaixo do calendário.

GUS

11
out
07

Cobertura do Video Games Live (finalmente)!

Aqui está a cobertura completíssima do evento de games mais badalado do ano aqui no Brasil, trazendo com exclusividade diversas entrevistas e partes do show! Para sua conveniência ele está disponível no youtube em três partes ou pode baixar ele no link abaixo.

Clique Aqui Para Baixar (53MB)

26
set
07

A História de Halo [Parte 2]

POR: Douglas Pereira

A HISTÓRIA DE HALO [PARTE 2]

Na primeira parte da matéria, contamos os eventos pré-Halo e fomos até o final do primeiro jogo. Agora, daremos um resumo do que aconteceu no livro Halo: First Strike, na campanha iLoveBees, e no famigerado Halo 2.

É interessante notar que a partir do momento em que Halo: Combat Evolved tem início, a história se passa em um período de pouco mais de um mês, por mais que ela atravesse três jogos, dois livros e duas campanhas virais. Antes de continuarmos, vamos explicar algumas coisas sobre os Covenant, e depois já vamos emendar com o resto da história. Espero que goste.

SOBRE O COVENANT

Quando O Covenant começou, eram apenas os Profetas e os Elites. Os Profetas são os líderes espirituais, são eles que mandam. Os Elites fazem parte da guarda de honra dos Profetas. Os Covenants na verdade vão se expandindo. Sempre que eles invadem um novo planeta habitado, eles forçam a raça em questão a se unir à sua ideologia e fazer parte do grupo. E seguir a ideologia significa adorar os Forerunners. Os Covenant os veneram como deuses, e basicamente saem pelo espaço procurando todo tipo de vestígio dessa antiga raça. Tudo o que os Covenant têm é apenas uma modificação de coisas que os Forerunners tinham, eles não criam nada, apenas copiam, basicamente.

Atualmente, O Covenant é composto por 7 raças, cada uma seguindo uma hierarquia. São eles: Elites, Brutes, Jackals, Hunters, Grunts, Drones e Engineers, além dos Prophets. Uns não gostam muito dos outros, especialmente os Brutes, que não suportam os Elites (e vice-versa).

Embora ninguém possa afirmar com certeza (apenas aqueles que já terminaram Halo 3), é capaz que o líder dos Covenant, o Prophet of Truth, esteja apenas usando todas as raças para um plano que só ele sabe. É estranho o fato de que, desde a primeira vez em que eles encontraram humanos, em 2525, eles nunca tentaram levá-los para sua religião, sempre querendo o extermínio da raça humana. Aparentemente, para eles a destruição dos humanos é a vontade dos Forerunners… Pelo menos é isso que os profetas dizem…

A HISTÓRIA CONTINUA – FIRST STRIKE

First Strike, apesar de ligar Halo e Halo 2, não tem um valor histórico tão importante, muito menos se for comparado ao Fall of Reach, por isso iremos resumir bastante. Porém, ele possui uma das partes mais interessantes da saga: em certa parte, ele se passa antes mesmo do primeiro jogo… Você vai entender.

Logo após escaparem da explosão do Halo 04, Master Chief e Cortana encontram uma pequena nave de sobreviventes. Eles voltam para Reach, e acham mais três Spartans, que estão procurando ali por mais um pedaço de cristal. Depois de pegar o artefato e sair da órbita de Reach, o cristal começa a reagir de um modo muito estranho. Quando eles percebem, voltaram duas semanas no tempo. Os Covenant perseguem a nave incansavelmente, e alguém lá dentro tem a idéia de destruir o cristal, que é o que os Covenant procuram.

Cortana intercepta uma conversa dos Covenant. Eles estão preparando 500 naves para atacar um lugar não tão distante. A surpresa vem quando eles analisam as coordenadas… O ataque será contra a Terra. Os Covenant de alguma forma já sabiam onde ficava a Terra antes mesmo de Master Chief encontrar o Halo 04.

Chief e os outros conseguem uma nave Covenant e vão até a base de preparação do inimigo, e conseguem se infiltrar. Os Spartans ficam lá para sabotar os planos, e o restante da tripulação (que estava em outra nave) procura um caminho para avisar a Terra do ataque iminente. Os 4 Spartans conseguem armar uma sabotagem para acabar com no máximo 200 naves. Depois de fugirem (um deles morre no processo), eles encontram a outra nave. Seria inútil ir avisar a Terra, então a outra tripulação decidiu… ajudar.

Eles se lançam contra a estação das naves inimigas. Chegando lá com vários pedaços do cristal, se isolam em uma sala, preparando tudo. O alerta máximo está ativado, e as naves se aproximam da base. Os dois tripulantes sacrificam suas vidas para destruir a base, e todas as 500 naves são sumariamente eliminadas, isso em 6 dias antes dos eventos que aconteceram em Halo 04.

ENQUANTO ISSO, NA TERRA…

Agora, uma resumida no que aconteceu na campanha de marketing mais bem sucedida que um game já teve: o ilovebess.com. São vários arquivos de áudio que contam uma história paralela com quatro personagens (a garota Jan, os garotos Jersey e Kumal, e a IA Durga), que acontece na Terra (provavelmente em Boston nos EUA) desde Fall of Reach até minutos antes do início de Halo 2. São mais de duas horas e meia de áudio, e boa parte disso é só para preencher espaço, mas as partes importantes são sensacionais.

Todos na Terra ficaram sabendo da ameaça Covenant. A UNSC tentou disfarçar, assegurando a todos que não havia como eles encontrarem o planeta. Até que Reach foi devastado, e aí a população entendeu que não demoraria muito até que nosso planeta virasse o alvo.

No meio de muitas informações de como é viver na Terra em 2552 e com uma possível ameaça alienígena, os personagens acabam se encontrando. Durga vinha escutando conversas do exército há algum tempo e descobriu que em uma base militar o governo guarda um artefato que possui um contador estranho. Os personagens invadem a base e conseguem parar o contador. Uma escolha duvidosa…

O artefato uma bomba eletromagnética que desabilitou todo o qualquer componente eletrônico na Terra, além da mandar um sinal para os Covenant. Durga entende melhor o que aconteceu. Quando ela estava operando em uma nave, costumava interceptar transmissões do Covenant. Mas os alienígenas eram mais espertos e mandavam vírus Trojan junto com suas mensagens (até aliens usam trojans!). Os vírus tinham várias utilidades. Com eles era possível saber as naves que interceptavam os sinais e eliminá-las, e se elas estivessem próximas da Terra, seria perfeito. Outra função era achar alguns artefatos que eles tanto procuram.

O contador no artefato nada mais era que mais um trojan. Quando chegasse a zero, todos os outros halos seriam ativados (lembra do que acontece, certo?). Então, basicamente eles salvaram toda a vida que existe no universo, mas em troca denunciaram as coordenadas da Terra para os Covenant. Foi assim que eles ficaram sabendo onde fica nosso planeta, antes mesmo de Master Chief explodir o Halo 04.

Pouco tempo depois, Master Chief está a caminho de receber uma condecoração por seus feitos em Reach, Halo 04 e na base Covenant. Jersey e Durga estão discutindo sobre os eventos recentes, quando o esperado finalmente acontece…

Sirenes começam a ecoar por todo o planeta. Naquele fatídico 20 de outubro de 2552, os Covenant chegaram ao planeta Terra. A frase de Durga no final explica o pensamento de todos os humanos, e é quase um sinônimo para o medo da população:

“Eles estão aqui.”

HALO 2 – CONTINUANDO A BATALHA

E aí, exatamente aí, é onde começa Halo 2. Ou seja, o jogo não tem começo, nem final…

O líder do exército de Covenants que estavam no Halo 04 é levado como um herege para os profetas. Todos o querem morto, mas os profetas possuem um idéia melhor. Ele na verdade será o responsável por eliminar os “verdadeiros hereges” dos Covenant. Enquanto ele está no ritual para se tornar o Arbiter (em High Charity, a cidade sagrada dos Covenant onde ficam os líderes), Master Chief está em uma cerimônia para receber medalhas por seus feitos recentes, em uma estação em órbita da Terra. O ataque dos Covenant começa. Chief salva a estação e destrói uma grande nave inimiga, e vai para a Terra continuar a batalha.

Um dos Profetas (Regret) está na Terra, e ninguém sabe porque. Quando Chief e companhia alcançam a nave inimiga, essa começa inicia seu slipjump (a técnica de se mover na velocidade da luz que os humanos aprenderam há poucos séculos, mas os Covenant fazem com muito mais precisão). Fazer isso dentro de um planeta é desastroso, e devasta tudo que estiver ao redor. A região de New Mombasa é destruída, e por sorte os heróis entraram no campo de slipjump dos Covenant, embora não façam idéia de onde estão indo.

Cortana descobre que Regret está conversando com seus superiores em High Charity. Nem ele nem ninguém sabia que os humanos viviam nesse planeta! Eles ficaram sabendo das coordenadas da Terra graças àquele impulso mandado pelo artefato em Boston, que aparentemente contém um dos cristais que os Forerunners deixaram. Ele confirma que esses cristais têm o poder de atravessar o tempo e espaço (o que explica a volta no tempo que aconteceu em First Strike). Na verdade, ele veio para cá procurar outra coisa além do cristal, e os Covenant ainda deram a sorte de poder exterminar a raça humana de uma vez. O maior dos Profetas, Truth, tem motivos bem obscuros para não aceitar os humanos como parte dos Covenant, e isso é algo que os Elite não conseguem entender.

COM OUTROS OLHOS

Agora vem a primeira mudança na perspectiva da história, onde vemos o que anda acontecendo com Arbiter. Ele está em uma antiga estação dos Forerunners, onde os Hereges estão escondidos. O problema é que lá também já foi uma estação de pesquisa sobre os Flood, e assim eles aparecem em Halo 2. Por algum motivo, os Sentinels estão junto com os Hereges, incluindo 343 Guilty Spark.

De volta a Master Chief, eles descobrem para onde estão indo. Mais um Halo, este conhecido como Delta Halo. Regret está lá e fica claro que a decisão de atacar a Terra antes da hora foi dele. Ele está procurando desesperadamente por algo. Ele está nesse Halo para ativá-lo. Apesar de isso causar a sua própria destruição, os Covenant pensam diferente. Eles acham que se ativarem os Halos, todos os que não compartilham das crenças dos Covenants serão eliminados e os aliens então chegarão ao paraíso – numa clara alusão aos extremistas islâmicos. Eles pensam que foi para isso que os Forerunners (que, caso não se lembre, foram os que criaram os Halos e aparentemente são ancestrais dos humanos) construíram essas estações.

Chief mata Regret, e cai em um lago muito fundo, depois de ver que todo o exército de Covenants e até mesmo High Charity se teletransportou para perto do Delta Halo. A história muda para Arbiter. Os profetas querem que ele vá até o Delta Halo encontrar o “ícone sagrado”, que nada mais é que a chave que ativa o Halo. Devido a morte de Regret, os profetas decidiram que os Brutes devem protegê-los, e não os Elites, o que deixa a tensão política entre os Covenants maior ainda. Johnson e Miranda, dois do grupo de Master Chief, também estão procurando pela chave, e chegam na sala um pouco antes de Arbiter. Ele derruba os dois. Porém, antes de levar a chave, é impedido por Tarturus, o líder dos Brutes (Arbiter é um Elite), que o derruba em um profundo poço, dizendo que os profetas o mandaram fazer isso.

GRAVEMIND – AMIGO… OU NÃO

Arbiter e Master Chief estão no mesmo lugar: nos tentáculos de uma criatura enorme chamada Gravemind. Essa coisa é nada menos que o maior dos Flood, e vive há milhões de anos absorvendo o conhecimento de suas vítimas. Junto com ele está 2401 Penitent Tangent, o Sentinel monitor deste Halo, assim como o 343 era do Halo 04. Esse Halo é o 05. Regret também está lá, revivido por Gravemind. Arbiter reluta em acreditar, mas Master Chief junto com Gravemind conseguem convencê-lo das verdadeiras funções dos Halos. Eles precisam encontrar a chave antes que seja tarde demais.

“O destino fez nos conhecermos como inimigos, mas esse anel (Halo) nos fará irmãos.” – Gravemind.

Ele parece ter grandes poderes também, pois teleporta Master Chief diretamente para a sala do Profeta Truth em High Charity. Obviamente, ele escapa. Os Covenants estão lutando uns contra os outros, divididos em duas facções. Você descobre que há uma nave dos Forerunners no centro de High Charity, por isso a cidade consegue fazer slipjumps.

Depois de um tempo, várias naves humanas, aparentemente não-patrulhadas, começam a chegar. Cortana descobre que Gravemind apenas usou Master Chief como distração para mandar milhares de Flood para High Charity. Truth está fugindo para a nave dos Forerunner para poder ir à Terra, “terminar o que começou”. Ele manda Tarturus ativar o Halo 05.

Cortana descobre que há um grande sistema de defesa em High Charity. Caso alguém consiga ativar o Halo 05, ela pode destruir a cidade e conseqüentemente o Halo, que está bem próximo. A explosão teria a mesma intensidade que aquela que aconteceu no Halo 04, e seria suficiente, como eles já provaram. Mas Cortana deve ficar para ativar o sistema. Ela sabe que, mesmo que a explosão não seja necessária, é praticamente impossível que Master Chief reencontre a rota para voltar a High Charity um dia.

TERMINANDO EM NENHUM LUGAR

Gravemind mandou Arbiter procurar a chave no Halo 05. Ele acaba encontrando Tarturus, que está forçando Miranda a ativar a chave. Por incrível que pareça, apenas humanos podem ativar as chaves dos Halos, o que dá mais força À idéia de que os Forerunner eram uma raça superior que deram origem aos humanos. Tarturus consegue forçar Miranda a ativar o Halo, que começa a ser ativado. Arbiter consegue matar o Brute. Miranda tira a chave no último instante e impede a ativação. 343 Guilty Spark mostra que os 7 Halos estão em modo de espera, e que possuem um sistema anti-falhas que agora pode ativar todas as estações à distância. Miranda pergunta onde fica a estação remota, e ele diz que ela é algo chamado “Ark”.

Johnson pergunta onde fica essa tal Ark, e a cena muda para a nave Forerunner e o exército Covenant entrando na órbita terrestre. Master Chief aparece em uma pequena nave. O comandante pergunta o que ele está fazendo lá, e ele responde:

“Sir, finishing this fight”

Daí vem a frase tão falada e usada no marketing de Halo 3. Especialmente porque… logo depois dessa frase, o jogo acaba e os créditos começam a subir. Pois é, quando tudo vai esquentando, eles cortam seu barato.

Depois dos créditos, podemos ver que Cortana está nos tentáculos de Gravemind em High Charity…

E assim acaba Halo 2.

FINISH THE FIGHT

Bom, é mais ou menos isso que você precisa saber para acompanhar a história de Halo 3 sem ficar muito perdido. O jogo foi lançado hoje, e nós até poderíamos te contar o final… Hum, é melhor não… Só vamos dizer que Master Chief realmente termina a batalha… Como? Vá jogar para saber!